Considerações sobre Felipão, por Fabio Tatu

Estava escrevendo um post sobre nosso técnico, até já escrevi aqui, mas sobre os recentes acontecimentos preferi copiar e colar o que escreveu meu parceiro de Porcopédia no Blog do Torcedor. Confira:

PS: já deu pra perceber que não é de hoje minha birra com Felipão e quero fazer alguns comentários sobre sua entrevista de ontem. Por mais que Felipão tenha falado a verdade, achei que faltou tato. Não era a hora e o local para aquelas declarações. Quando finalmente achávamos que iríamos ter 1 semana de folga, Felipão imita Kléber após a goleada de 5×0 contra o Avaí no BR11, e joga gasolina na fogueira. Meu palpite é que Felipão não pediu Betinho (parece que não vem mais) mas ele já pediu vários bagres que estavam aqui até outro dia e outros que continuam até hoje. Felipão fala, com razão, que cada um (da diretoria) deveria assumir suas responsabilidades. Concordo e também acho que Felipão precisa assumir a dele porque do jeito que fala se porta sempre como fosse vítima do processo, um coitado que sempre é boicotado. Felipão ganha um salário estratosférico para fazer um time competitivo. Se não lhe dão um time a altura, é só pedir a rescisão e ir para um dos inúmeros times e seleções que estão atrás dele. Simples. Outra. Felipão disse, com propriedade, que os novos jogadores que chegam (como Mazinho) devem querer, ter vontade e agarrar as oportunidades que lhes são dadas. Disse que é preciso também não ter medo de dar oportunidade. Pois é Felipão, estamos esperando isso de você em relação a alguns bons valores da base. Não tenha medo de dar oportunidades. Continuando. Felipão diz que a diretoria precisa vir a público e explicar que o clube não tem dinheiro. Depois da desclassificação contra o Guarani, César Sampaio tem constantemente dito exatamente isso pela imprensa: o Palmeiras não tem dinheiro e não vai trazer ninguém de nome. Se Felipão, como Kléber, apelou para o “coração palestrino” (“Eu sou mais identificado com o Palmeiras do que alguns dirigentes que aí estão”, disse), ele poderia abrir mão de metade do salário que tem até o fim do seu contrato e dar essa grana para contratar algum jogador que lhe agrade. Seis meses de salário até o fim do ano somam R$ 2,1 milhões e com essa quantia dá pra trazer alguma coisa. Minha opinião: Felipão sabe que Bananone não irá demití-lo e sapateia na cara da diretoria. Pior para o Palmeiras, que consegue ter notícias ruins até mesmo quando se classifica com uma goleada.

Por mais incoerente que possa parecer, acho um erro demitir Felipão agora. Ele deveria ter sido demitido nos vestiários do Brinco de Ouro, logo após a eliminação para o Guarani. No máximo no dia seguinte. Se já tivéssemos um novo técnico, ele teria pelo menos 10 dias para começar a trabalhar, conhecer o grupo e começar a montar seu time para o Brasileiro. Penso que demitir Felipão agora ou no meio do Brasileiro, entrar um novo treinador com o ambiente conturbado do clube somado às eleições do começo do ano seguinte e a insatisfação da torcida, poderíamos ver a maionese desandar totalmente. E quando a maionese desanda no Palmeiras, ela desanda pra valer. Só que Felipão precisa ser colocado em seu lugar, como funcionário do clube que é. Felipão não é Deus nem dono do Palmeiras.

Enfim, a política da Casa da Mãe Joana continua. Quem continua pagando o pato é você, torcedor.

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação