Atlético-PR 2 x 2 Palmeiras

O Palmeiras voltou ao Durival de Britto depois de 2 semanas para jogar as quartas de finais da Copa do Brasil contra o Atlético-PR e tivemos um jogo muito agitado do início ao fim, o Palmeiras ficou atrás do placar por 2 vezes, mas foi atrás do empate. A arbitragem também teve uma grande parcela de culpa para que nosso resultado fosse apenas um empate.

O 1º tempo foi desesperador na parte defensiva do Palmeiras, os volantes, laterais e zagueiros não conseguiam conter o avanço rápido dos atacantes do time Curitibano que chegavam com facilidade dentro da área Alviverde. Do nosso lado tivemos um Valdívia bem ativo e criativo, armou bem as jogadas e contava com um Barcos bem no pivô e na movimentação. O lado esquerdo, com Mazinho, estava muito tumultuado, mas o rápido meia atacante conseguia trocar bem as bolas.

Veio o 2º tempo e o comportamento do Palmeiras foi completamente diferente. Todo o sistema defensivo veio mais ligado e a bola não chegava com tanta frequência e perigo na área, Valdívia continuou armando bem e buscando as jogadas, Mazinho conseguiu mais espaço na substituição do Atlético-PR (colocou um atacante improvisado na lateral direita) e o gol parecia uma questão de tempo. Apesar disto, a formação não durou muito e Maikon Leite entrou no lugar de Cicinho (amarelado), deslocando João Vítor para o lado direito com Maikon Leite de ponta; Luan substituiu Mazinho para dar mais marcação e sangue novo ao lado esquerdo. As substituições fizeram efeito (não faria a segunda substituição) e o jogo foi completamente controlado.

O Palmeiras só não virou o jogo porque não quis, pois teve condições para isso. Erros em passes fáceis e um lance bizarro de Luan coroou o empate com gosto de quero mais, pois além do "não querer" o gol no fim do jogo, houve 2 pênaltis não marcados (Cicinho empurrado em bate-rebate dentro da área e João Vítor derrubado por trás ao entrar livre na área), técnico adversário agredindo Valdívia e um gol irregular do Atlético.

Destaques positivo: Valdívia, Barcos, Maurício Ramos e Maikon Leite.
Destaques negativo: Leandro Amaro, Juninho e Marcos Assunção (assustou em 2 faltas).

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação