Caro Kléber, ainda há tempo



A novela é longa, há tempo venho dando pitacos via Twitter, mas li este texto no 3vv e resolvi compartilha-lo na íntegra, perfeito. Confira:



POR VICENTE CRISCIO

O portal IG mostra nesta quarta-feira matéria sobre Kleber. Entre outras, o portal analisou quantas vezes o jogador comemorou gols após a fatídica partida de 19 de junho, quando o Palmeiras goleou o Avaí com gols do Gladiador, e dava pintas de brigar de fato pelo título.

Prá quem não se lembra, no final da partida, o jogador saiu atirando na direção palmeirense, dizendo que não se sentia valorizado. Dava a deixa para um ataque do Flamengo, que queria porque queria o atacante.

Depois disso o jogador se recusou a entrar em campo em algumas partidas, contundiu-se em outras, e ficou de fora por conta de advertências com amarelo. O IG analisou que a média de desarme (que caracteriza seu estilo guerreiro e definiu seu apelido de Gladiador) no início do campeonato - pré-piti - era de 2,4 por partida e depois do imbróglio caiu para 0,5. Verificou indicadores de finalizações também. E analisou quantas vezes o atleta comemorou gols. Dos 13 gols que o Palmeiras fez depois da consusão e onde Kleber estava em capo, o jogador teria comemorado apenas em duas ocasiões, uma contra o Figueirense (M. Ramos) e outra de Valdívia, contra o Bahia. (clique aqui e leia a matéria do IG).

Noves fora estatísticas e interpretações, o que se percebe é que Kleber está há tempos em rota de colisão com o Palmeiras e aparentemente com Scolari.

Daí vem a pergunta: o que diabos faz um jogador, que ganha bem, que é ídolo, que forçou sua saída do Cruzeiro ano passado para vir jogar no Palmeiras, que tem contrato até 2015, enfim com tudo isso, o que faz um jogador atirar pela janela essas coisas todas?

Kleber tinha (e tem) tudo para ser um ídolo marcante. Personalidade forte, carinho da torcida (pelo menos tinha até pouco tempo atrás), poderia muito bem elevar seus ganhos com projetos de marketing com empresas de produtos de consumo. Ou mesmo poderia hoje, quarta-feira, estar em campo em Belém do Pará jogando pela seleção brasileira, no lugar de Borges.

A questão do jogador - em tese, nunca falamos com o atleta - era um punhado de grana a mais. Temos informações que após a abordagem com o Flamengo o Presidente Tirone iria antecipar um aumento salarial, previsto em contrato para 2013 mas que poderia muito bem ser dado em 2012. Nem assim o jogador parece satisfeito.

Com isso Kleber vai jogando fora sua chance de se eternizar como ídolo no Palmeiras. Até 2015 disputaria títulos importantes e teria condições de ganhar alguns. Poderia jogar na Nova Arena, e pegar a onda de valorização das propriedades de marketing e de jogadores-garoto-propaganda. Poderia enfim amadurecer e ser reconhecido como um líder, guerreiro, gladiador, artilheiro e quem sabe campeão no Palmeiras.

Ao contrário, prefere jogar pela janela essa chance.

Nós aqui no 3VV conhecemos parte da história, brevemente relatada acima. Mas não sabemos todos os bastidores das questões ligadas a Kleber. Talvez o jogador tenha motivos para se sentir magoado, frustrado, infeliz. Mas é muito ruim para a torcida, para a marca Palmeiras, e principalmente para o jogador, vermos mais um ídolo de barro se desmanchando na chuva.

Kleber, abre o olho. Do ponto de vista de carreira, ouça os mais velhos e aqueles que aprenderam com erros e acertos do passado.

Ainda há tempo para se reverter tudo isso. Calce as sandálias da humildade, volte a ser aquele Kleber, e o torcedor passional e apaixonado, antes de terminar de gritar dá-lhe porco, acolherá você novamente no seu coração.

Saudações Alviverdes!

2 Comentários até agora.

  1. Ah... Sei lá. Talvez. Algumas semanas atraz ainda, mas ele vem queimando o filme dele numa velocidade...

  2. Tuca Veiga escreveu:

    Definitivamente, ou sai o Felipão ou saem os jogadores...

    http://paixaoclubistica.blogspot.com/2011/10/ou-sai-o-felipao-ou-saem-os-jogadores.html

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação