Patético 1 x 1 Palmeiras

Tinha tudo para ser um jogo complicado e brigado, mas as circustâncias do jogo nos deram um jogo extremamente fácil e tranquilo de se vencer.

Desde cedo o Palmeiras jogou com inteligência, marcando e não dando chances para o time do Paraná, aos 16' ficamos com um a mais e tivemos a chance de matar o jogo (ou não, ninguém sabe o que um gol poderia fazer e mexer com a partida). Robert bateu com um "capricho" sem tamanho, com uma "paradinha" medonha e atrasou para o goleiro.

* O torcedor em casa só não deve ter chamado o Robert de Santo, pois o resto dos elogios foram lembrados.

Mas o Palmeiras continou marcando bem e não dando chances para o Patético, algumas bolas paradas davam mais perigo e dominávamos a partida, faltou mais atitude e competência para matar o jogo no primeiro tempo.

Veio o segundo tempo e o jogo continuou igual, tínhamos a bola e o gol parecia ser questão de tempo e competência, mas não veio e o secador do Neto (fui obrigado a ver na Band) repetia: "daqui a pouco, numa bola besta, o atlético vai lá e faz um e leva para os pênaltis, é brrrrincadeirrrra!".

Não chegou a ser um lance bobo, mas num assalto (novamente no Paraná, ano passado fomos assaltados lá 2 vezes, contra Coritiba e Patético) o juíz marcou um pênalti inexistente e, Alan Bahia (ensinando ao Robert o que é paradinha) bateu, Marcos (que errou em não esperar a paradinha de sempre) caiu pro lado esquero e a bola pro lado direito. 1x0.

* Aí o torcedor deve ter elogiado ainda mais o Robert e todo "poder" ofensivo do Palmeiras.

O Palmeiras continuou na mesma mesmice, tocava de um lado para o outro sem velocidade alguma, mas contamos com boa jogada individual que terminou com gol salvador de Lincoln.


Rapidinhas:

Alguém pelo Amor de DEUS, manda o Marquinhos embora.

Alguém pelo Amor de DEUS, acorda o Diego Souza.

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação