Não se enganem

Marcos disse tudo, não se enganem por conseguir esse empate, só porque saimos perdendo de 0 x 2. Não foi um bom resultado, foi um péssimo resultado, com um péssimo primeiro tempo.

Se serve como consolo, pela recuperação, o ixpó vai para onde deve ficar. ADEUS!

6 Comentários até agora.

  1. Anônimo escreveu:

    E o que que o Belluzzo vai dizer agora desse apito (literalmente) amigo?

    Vergonha de futebol, vergonha de choradeira tentando, mais um ano, justificar o fracasso insinuando que os outros vencem no apito.

  2. Anônimo escreveu:

    Não sei o que pensam, mas esquecendo um pouco os resultados...o Deivid Sacconi não pode ser reserva, não tendo um time titular apático como estamos tendo...e sinceramente o espiríto de luta demonstrado pelo Ortigoza faz com que também mereça uma chance como titular...Façamos coro, para que o Muricy coloque ambos jogando desde o ínicio, pois com eles a equipe tem sido (é verdade que é pouco) melhor do que a que tem iniciado as partidas.

  3. Das duas ultimas partidas fica claro q o Edimilson pode pendurar a chuteira e nunca mais jogar no Palmeiras. O Marquinhos tb não deve mais entrar em campo, pois entrou muito mal e perdeu chances incríveis. Vagner Love é outro q é bom ficar no banco e entrar no 2 tempo. Mesmo assim, infelizmente, acho q título ja era, pois a declaração do Marcos deu entender q o time não se entende e com esse futebol não ganha as próximas partidas. Vai ser o campeonato mais humilhante para o Palmeiras, pois se os bambis ficarem campeões novamente, não vai ter quem aguente esses filhosdasputas.

  4. Irineu Curtulo escreveu:

    Pra mim o grande culpado de tudo isso que estamos vivendo chama-se Muricy Ramalho, senão vejamos: ele assumiu o time e estávamos praticamente em primeiro lugar; os adversários colaboraram, e muito, com a pseuda-liderança por 19 rodadas; pegue os jogos onde não tivemos o Pierre, e ele inventou o Edmilson, ora como terceiro zagueiro, ora como volante, e nas funções ele não jogou absolutamente nada. Repito, a escalação do Edmilson foi um dos grandes erros do nosso técnico. É claro que existem outros fatores, mas, pra mim ficou claro isso no jogo de ontem. Resta saber se ainda nos classificaremos para a Libertadores, o que realmente, eu não acredito. Somente uma mudança radical na escalação e na postura (raça)fará com que voltemos a lutar pela vaga.
    Obs.: como é que fica a situação daquela merda de espaço, que chamam de VISA. Eu, aqui do interior, Araras, assisto aos jogos pela televisão, e, aquela bosta de setor estava vazio, e onde isso significa aumento de arrecadação. Todos os locutores frisaram a importância da torcida, que incentivou do início ao fim, mas qual torcida? Aquele espaço estava vazio e a verdadeira torcida se aglomerou naquele curral que lhe restou. Sinceramente, é difícil entender as contas que fizeram quando resolveram instituir aquela merda de lugar. Na Tv, parece que o estádio está vazio.
    Parabens a todos os guerreiros das torcidas organizadas. Vocês nos representam com dignidade e amor. Eu me orgulho de ser representado nas arquibancadas por vocês.

  5. Fernando Kamers escreveu:

    Respondendo ao Bambi lá que disse que houve Apito Amigo.

    Me mostre uma imagem que comprova o lance ilegal. Só uma.

    Pela regra, não se apita o lance antes de acontecer. E o juíz, se errou, teve coragem de voltar atrás.

    Hoje ele dorme tranquilo.

  6. Alex Buzeli escreveu:

    Futebol, legislação e poder
    Na esteira dos últimos acontecimentos envolvendo Palmeiras e Sport, muito se tem discutido acerca da questão do que é erro de fato e erro de direito. O fundamenal ficou para trás. Os alicerces do próprio direito, incluindo o direito esportivo.
    Havia um certo consenso na crônica esportiva. O erro contra o esporte foi um erro de direito, uma vez que a partir do apito, o jogo estaria paralisado, portanto fazendo com que a regra não fosse respeitada ao se continuar a jogada e validar o gol do Palmeiras. Caso o juiz tivesse apitado e parado o jogo, o que haveria seria um erro de fato prejudicando a equipe do Palmeiras, uma vez que não houve a não observação da regra, mas um erro proveniente da má interpretação ou colocação do árbitro. Tanto o erro de fato como o erro de direito prejudicam da mesma forma as equipes, não há um erro mais importante que outro, a diferenciação só ocorre na questão da possibilidade de anulação do jogo.
    Eis que Marcílio Krieger, especialista em direito esportivo, conseguiu transformar o duplo erro em um acerto. Nem os cânones da dialética conseguiriam tal fato. Segundo Krieger, o erro de direito seria, por exemplo, quando um árbitro validasse um jogo realizado com uma bola de golfe ou basquete. Já a questão de apitar e dar continuidade ao jogo, é uma atribuição do árbitro, portanto este não estaria errado.
    Qual a lição que podemos tirar de tudo isso? Simples. A não ser para alguns advogados, que acreditam que a questão técnica é determinante em um processo, sendo que a legislação seria igual para todos, o que existe é o poder, e dentre as diferentes formas a do poder econômico é a mais importante, determinando o sentido da utilização do direito. Neste caso a questão é clara. Mesmo sendo claro que houve erro de direito, as pessoas que detém o poder começam a se movimentar, colocando seus representantes para justificar uma futura decisão. Esta decisão não beneficiaria nem o Sport, nem o Palmeiras, mas serviria para manter intacto o status do negócio futebol no país. É claro que as pessoas vão lembrar do fato, mas com o tempo se conformam, aceitam. É melhor não mexer na merda, caso contrário ela começa a feder. Com isso, clubes com maior poder político e econômico não serão afetados.
    Pessoalmente eu não vejo solução para a questão do erro de Elmo Resende. Independentemente do caráter do erro (de fato ou direito), o duplo erro faria com que qualquer decisão beneficiasse um e prejudicasse outro. Não me apego as questões técnicas do direito, pois não são estas que decidem de fato. Mas, eu preferiria que o jogo não continuasse da forma que está, mesmo se fosse para o Sport ser declarado vencedor, pois isso abriria o precedente necessário para que outras decisões absurdas pudessem ser questionadas.
    fonte: http://lutaverde.blogspot.com

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação