Palavras do Presidente

Estamos cansados de tantas promessas. Vamos agir e fazer o que as palavras dizem. Por aqui, por ali, o Brasil está repleto de torcedores que se inundam de raiva ao ouvir algo sobre futebol.

Sobre o Gayson
"O Palmeiras não é de ter medo. Esse negócio de Jason é coisa de criança de cueiro, não pode ter medo de coisa nenhuma. O futebol invadiu a creche. No jogo que tivermos com eles, temos que ir para o pau, no bom sentido. Jogar bola para valer. Vamos botar fogo contra eles"

Sobre os assaltos
"Por enquanto, estou mantendo a civilidade. Daqui a pouco não vou manter mais. Vocês vão ver o que eu quero dizer. Fui muito bem educado por uma família que me ensinou os valores da civilização moderna, mas também tenho alma calabresa. Estou avisando que, por enquanto, estou protestando civilizadamente, daqui a pouco não mais".

"Foi escalado um juiz inexperiente, sensível a pressões e que cometeu um erro fatal no fim do jogo. Não é a primeira vez que acontece. O Palmeiras é o líder do campeonato, não um time de esquina. Já fiz hoje uma manifestação verbalmente a quem de direito e vou oficializá-la".


Sobre Love
"Ele (Dionísio Castro, representante do CSKA no Brasil) é uma pessoa inconveniente. Não falamos com ele, portanto ele não tem autoridade para dizer isso. Quem pode dizer sobre a negociação são os presidentes de CSKA e Palmeiras"

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação