Luxemburgo fora


É o fim da 4ª era Luxemburgo no Palmeiras.

Junto com ele se vão o preparador físico Antonio Mello e os auxiliares Ney Pandolfo e Júnior Lopes, a princípio esses (mais o cinegrafista que para mim não faz diferença).

E principalmente, o empresário mais forte do Palmeiras, foi demitido. Nem a multa rescisória a ser paga, de R$ 1,5 milhão, o segurou.

Agora, todas as fichas caem sobre Muricy.

Claro que as declarações de ontem pesaram, mas isto deve ter sido apenas a faísca, pois grande parte da diretoria não queria mais Luxemburgo, e ao se juntar aos cortes de gastos com o Futebol.

Mas, infelizmente, a faísca da demissão, foi em um ato acertado de Luxemburgo: as críticas ao Keirrison (falarei isso no próximo post). Claro que os principais motivos da sua saída ainda não sairam à tona, talvez nem saiam. Mas a verdade é que nos livramos de alguém que não vinha bem, estava causando desconforto geral.

Belluzzo: "A saída é quase auto-explicativa. O Palmeiras tem ordem, tem hierarquia e tem competência. Não poderia relevar esta situação porque isto tem implicações institucionais mais graves, abre as portas para comportamentos que funcionários do clube não podem ter."

"Muricy Ramalho é um dos nomes que estamos cogitando. Mas esta é uma negociação que será feita por critérios profissionais. Nós temos que definir o mais rápido possível."


E do Blog do Luxa.

Minha saída do Palmeiras

Acabei de sair de uma reunião onde fui demitido do cargo de técnico da Sociedade Esportiva Palmeiras. O motivo alegado pela diretoria foi por eu ter quebrado a hierarquia do clube. Foi quando eu decalrei que por falta de profissionalismo e de respeito a mim e ao elenco por parte do atleta Keirrison, que ele, comigo como técnico, não jogaria mais no Palmeiras.

Quero registrar meu agradecimento pela oportunidade que tive em dirigir mais uma vez o clube, e em breve, farei aqui, no meu blog, uma análise da minha trajetória no SEP.


Agora, é esperar o desenrolar dos fatos.

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação