Com a palavra, os culpados


Esta foi retirada do blog sobre Porcos e Ratos.

Com a palavra, os culpados. Parte I

"Isto é ficção

Imagine alguém que tra­balhe em algum grande clube - o Palmeiras, por exemplo - citar o nome de Rogério Ceni seis vezes em uma única entrevista, dizer que o jogador do rival São Paulo é o melhor do Brasil, que Ronaldo (do Corin­thians) e Nilmar (do Inter) são jogadores diferencia­dos e que na sua equipe não tem ninguém assim.

Imagine um treinador, que se diz flamenguista, se achar perseguido pela im­prensa, lançar factóides para desviar o foco, dizer que fulano é corintiano, que sicrano é são-paulino, e, ainda por cima, ter um instituto em que umas das aulas por lá lecionadas é: "Como Lidar com a Mídia".

Imagine alguém que re­clame da própria torcida, diga que ela não apoia o time, que a do Sport é me­lhor, e que passe alguns momentos de um jogo im­portante brigando com... os próprios torcedores.

Imagine alguém que defenda seu jogador, diga que ele é perseguido pela torcida, injus­tiçado, e em uma partida importantíssima - e em casa - coloque esse atleta e o retire ao 28min de jogo.

Imagine alguém que se gabe de ser um bom plane­jador contratar um jogador na segunda, apresentá-lo na terça, relacioná-lo na quarta e escalá-lo na quinta-feira.

É... É difícil imaginar isso na vida real, mas seria um grande personagem para uma novela das oito."

Adriano Pessini, colunista e editor do jornal Agora. Edição impressa, 30/05/2009.

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação