Estrelas nas camisas dos times


Seguindo a linha dos posts anteriores, sobre os títulos nacionais (Octa ou Hepta? e Palmeiras, Octa Campeão Nacional) farei hoje, um post sobre as estrelas que cada time coloca em cima de seus símbolos.

Mas afinal, por quê, a CBF não faz uma padronização?

Estrela vermelha, estrela amarela, estrela prateada, cada um coloca o que quer em cima do seu símbolo. No fim, daqui há uns anos, o time não vai mais ter espaços para patrocínios, número e nome do jogador, pois a camisa terá mais estrelas que o céu visto do interior.

Li, há algum tempo, no Blog do Birner sobre o modelo italiano e achei muito interessante, a cada 10 títulos do campeonato italiano, o time conquista uma estrela. Ou seja, não importa se o time tem 10 ou 19, continua tendo 1 estrela.

Não há necessidade de utilizar esse modelo, poderiamos adotar a estrela para cada 5 títulos, por exemplo, e poderia ser readequada mais para frente, se fosse necessário. Nada de colocar Mundial, Libertadores, e etc.

Atualmente:
Atlético Mineiro
A estrela dourada representa o único título de campeão brasileiro do clube, em 1971.

Botafogo
As 4 estrelas douradas homenageiam os cariocas de 1932/33/34/35.

Corinthians
As 3 estrelas douradas são dos títulos de brasileiro obtidos em 1990, 1998 e 1999. A estrela também dourada, representa o 'Mundial', em 2000.

Cruzeiro
As cinco estrelas brancas representam a constelação Cruzeiro do Sul, que inspirou o nome do time.

Flamengo
As 4 estrelas alinhadas, que podem ser vermelhas ou prateadas (depende da cor da camisa), são dos 4 tricampeonatos cariocas que o Flamengo conquistou: 42/43/44 - 53/54/55 - 78/79/79 - 99/2000/2001. A estrela dourada é do Mundial de 1981.

Fluminense
As 3 estrelas douradas são dos 3 tricampeonatos cariocas consquistados: 17/18/19 - 36/37/38 - 83/84/85. O tetracampeonato de 06/07/08/09, não é homenageado.

Grêmio
A estrela de bronze representa os brasileiros de 1981 e 1996. A prateada representa os títulos da Taça Libertadores de 1983 e 1995. A dourada é pelo Mundial de 1983.

Internacional
4 estrelas representam: 3 Brasileiros (1975, 1976 e 1979) e 1 Copa do Brasil (1992). A estrela dourada maior representa a Libertadores e a prateada o Mundial.

Palmeiras
As estrelas dentro do símbolo, são referente ao mês de fundação do clube, e nada tem haver com conquistas, faz parte do símbolo.

Santos
As 2 estrelas douradas são pelos Mundiais de 1962 e 63.

São Paulo
As 2 estrelas vermelhas são dos Mundiais de 1992 e 93. As 2 douradas é uma homenagem ao atleta Adhemar Ferreira da Silva, pelos dois recordes mundiais no salto triplo em 1952 e 1955.

Vasco
As 4 estrelas representam os brasileiros de 1974, 1989, 1997 e 2000. A quinta é do Sul-Americano de 1948. A sexta representa a Libertadores de 1998. A sétima faz referência a Mercosul de 2000. A oitava referencia-se ao "Campeonato de Terra-e-Mar" em 1945, ganhando os torneios estaduais de futebol e remo.

É uma verdadeira ZONA.
Detalhes que pode não fazer diferença alguma, mas que faria do futebol brasileiro algo mais padronizado, e não a referência de uma zona.

3 Comentários até agora.

  1. Anônimo escreveu:

    Se o único problema para tornar oficial esses títulos é o fato de o Palmeiras ter ganho dois títulos no mesmo ano, isso não faz sentido no desorganizado futebol brasileiro.

    Vejamos, em 2000 o São Caetano foi vice-campeão da segunda e primeira divisão, lembram? A tal Copa João Havelange.

    Anos atrás, as finais de alguns campeonatos paulistas eram disputados no ano seguinte ao ano de sua realização, tendo o risco assim, de uma equipe ser campeã regional duas vezes no mesmo ano.

    Portanto, isso é falta de argumento por parte daqueles que se incomodam com o fato de Palmeiras ser o maior campeão nacional do futebol brasileiro.

  2. sinceramente não gosto da ideia de colocar estrelas para representar os titulos que conquistam.

    Colocar estrelas é para time pequeno que ganham titulos de vez em quando.

  3. Mas se fosse padronizado, ficaria interessante e nada exagerado.

Adicionar novo comentário

Devido a comentários sem educação, aguarde a moderação